A Estranha Vitória dos Russos nas Eleições da Letónia

por Avelino Oliveira

 

 

No passado fim-de-semana, ocorreram as eleições antecipadas na Letónia com um resultado que, à primeira vista, parece pouco importante, mas que revela, mais uma vez, o decréscimo de importância do valor político da Europa, neste caso num dos mais interessantes Países do Báltico.

 

Ganhou o Partido Pró-Russo, denominado “Centro da Harmonia””, o que não sendo surpreendente, torna-se estranho aos olhos de quem conhece a Letónia. Com uma população de pouco mais de dois milhões de habitantes, onde a capital Riga reúne cerca de metade da população, não conseguimos vislumbrar na Letónia e nestas eleições, nenhuma lógica partidária europeia (apesar da ligação deste partido à social-democracia europeia).

 

Neste País, os partidos não possuem, ainda, uma tradição histórica, estando mais intimamente ligados aos líderes políticos e às etnias do que a famílias políticas. Veja-se a denominação dos Partidos, “Centro da Harmonia”, “Zatlers Partido Reformista” (Zatlers é o nome de Valdis Zatlers, ex-presidente), “Todos pela Letónia”, e “Unidade”.

 

Este facto resulta da juventude da própria independência Letã, que tem pouco mais do que 20 anos, mas também e, essencialmente, da constituição demográfica e étnica do País, em que, só pouco mais de metade da população, é constituída por Letões, sendo que nos restantes habitantes, cerca de um terço são de origem russa.

 

Esta estável, mas não tranquila, convivência nota-se muito em Riga, onde existe uma divisão informal entre Nativos e Russos. Existem restaurantes, bares, lojas, etc. onde estão uns e raramente estão os outros.

 

Assim, além desta estranha tendência de surgirem novos partido com novos nomes em cada eleição, ficou demonstrado que os oligarcas Russos continuam também a fazer valer o seu poderio económico na zona, o que, neste caso, gerou uma vitória, minoritária é certo, mas demonstrativa da descrença dos Letões em pugnarem por uma maior ligação à Europa.

 

O último fim-de-semana revelou uma vitória dos Letões “Russos” com 30%, sobre os partidos do ex-presidente Zatlers, que obteve 20%, e do partido do ex-primeiro-ministro, que se ficou pelos 18%. Para os Europeus, a Letónia não parece significar muito, o que é pena, pois este País do Báltico, com a sua beleza e património histórico muito próprios, deveria caminhar na direcção da integração no Euro, moeda que poderia substituir o ”Lats” Letão, conduzindo a Letónia a um ritmo que pudesse acompanhar a vizinha Estónia, em franco crescimento, e uma Lituânia mais modernizada, representando aqui, na periferia leste, uma ramificação do sucesso do modelo europeu.

Advertisements