Análise Performance de Inovação [Introdução]

Análise Comparativa de Países Europeus em Performance de Inovação

[Introdução]

Acho oportuno fazer um estudo de análise aos indicadores de inovação da união europeia como um todo, dando mais evidência a uma análise comparativa entre a Alemanha e Portugal.

A produção, adopção e difusão de inovação tecnológica são factores essenciais para o desenvolvimento económico e a mudança social; as inovações tecnológicas são uma característica distintiva dos produtos e dos sectores nos quais os países de altos salários competem com sucesso no mercado mundial (Soete, 1981).

Quando analisamos a performance económica dos países, e pretendemos explicar as diferenças de crescimento económico entre países, temos de abandonar as teorias neoclássicas e passar modelos de crescimento económico com base às extensões a Solow e para as teorias explicativas de origem Schumpeterianas, incorporando o Conhecimento Tecnológico.

Num estudo realizado por Jan Fagerbergn “A technology gap approach to why growth rates differ”, estudou-se a diferença na competitividade entre países que se encontram com um GAP tecnológico face aos países de fronteira tecnológica. Ficou demonstrando que os países mais distantes da fronteira tecnológica podem usufruir de um maior contributo relativo da difusão e imitação para o seu crescimento económico, que a Inovação actua no sentido da divergência, aumento entre a distância económica e tecnológica entre países e a Imitação ou Difusão actua no sentido da Convergência, com maior impacto nos países com menores índices tecnológicos. Neste estudo tanto o propósito de imitação, crescimento da actividade inovadora e “esforços” para estreitar o GAP (investimento) aparecem como poderosos factores explicativos do crescimento económico.

Pretendo neste estudo identificar quais os factores que afectam e influenciam o progresso e desenvolvimento económico de um país na sua relação com o esforço realizado em termos de inovação.

No tempo de globalização que vivemos, onde o ritmo de inovações e avanços tecnológicos cresce de forma exponencial, é cada vez mais importante apoiar e promover sistemas de inovação. É neste contexto que surge o conceito de Sistema Nacional de Inovação, SNI que inclui todos os factores importantes, económicos, sociais, políticos, organizacionais, institucionais e outros factores capazes de influenciar o desenvolvimento, difusão e uso das inovações.

Um Sistema Nacional de Inovação tem como principais componentes as Organizações – onde as empresas são frequentemente consideradas como as mais importantes – e as instituições. No entanto as combinações específicas entre as organizações e instituições variam muito entre si.

É nesta interacção entre o Capital Estrutural (Inovação – Empresas) com o Capital Humano (Competências – Escolas e Universidades) e Oferta de Ciência e Tecnologia (Organizações de Investigação Pública e Privada) que os Sistemas de Inovação se relacionam, tentando garantir as melhores condições para conseguir a construção de competências, a formação de mercados para novos produtos, reforçando o empreendedorismo, financiando os projectos inovadores e promovendo Networking entre mercados e diferentes organizações dos SI.

Nos próximos dias irei dar seguimento a este estudo, tendo por base o European Innovation Scoreboard (EIS) 2009 e o Innovation Union Scoreboard (IUS) 2010.

http://www.proinno-europe.eu/page/european-innovation-scoreboard-2009

http://www.proinno-europe.eu/inno-metrics/page/innovation-union-scoreboard-2010

Anúncios