Monsieur Barrósô?

CHISSA! Hoje apetece-me falar sobre Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia que valorosamente demonstra a sua incapacidade em fazer valer os valores que ditaram a Comunidade Económica Europeia. Monsieur Barrósô anda numa lufa lufa, a fazer de conta que não é uma Rainha de Inglaterra. Ontem, a comunicação social brindou-nos com declarações de Monsieur Barrósô:

 “O presidente da Comissão Europeia remete para o outono o anúncio de propostas de regulação das agências de rating, mas ressalva que ao “sobressalto patriótico” perante a última avaliação da Moody’s deve seguir-se “a determinação para levar a cabo as reformas necessárias”. Em entrevista à RTP, Durão Barroso sublinhou que “os problemas da Zona Euro” resultam do facto de muitos países viverem acima das suas possibilidades.” E acrescenta:

 “os problemas que a zona euro atravessa são “sem precedentes” e que a União Europeia (UE) tem tentado dar uma resposta conjunta que, “há alguns anos, seria impensável”. Durão Barroso deu como exemplo o fundo de resgate que socorreu a Irlanda e Portugal, a criação de um instrumento permanente de ajuda (o mecanismo europeu de flexibilização financeira) ou a criação de autoridades de supervisão europeias. “Gostaria que a resposta [da UE] fosse mais ágil, mas também é preciso sermos justos na avaliação”, salientou Durão Barroso, referindo-se à dificuldade de reunir um consenso entre os 27 Estados-membros.”

Pois bem, com líderes europeus que validam os argumentos Franco-Alemães, do género “há países que vivem acima das possibilidades”, o que se pode dizer? Viver acima das possibilidades para Portugal, Irlanda e Grécia é viver num espaço de livre circulação de pessoas? De livre circulação de bens? Com a mesma moeda? Com a mesma arquitectura legal? Com um tratado de Lisboa “porreiro” que dá coesão europeia? Então nesta Europa aberta poderia algum dia subsistir a convivência entre um Pais como a Alemanha e outro como a Lituânia, sem convergência económica? Poderia algum dia a moeda alemã ter feito sobre o Dólar a mesma pressão que fez o Euro? Poderia a Europa viver tão tranquilamente, em Paz e melhorando a vida das pessoas sem solidariedade?

Por isso, a Europa necessita de Socialistas e de Socialismo. Porque as abéculas políticas que servilmente afundam a Europa, como Durão Barroso, não defendem a Igualdade, os critérios da Social Democracia e os valores fraternos da Europa. Pobres de nós, pobre de mim, tenho um Presidente de Junta PSD-PP, tenho um Presidente de câmara PSD-PP, tenho um Primeiro-Ministro PSD-PP, tenho um Presidente da Republica PSD, apoiado pelo PP, tenho um Presidente da Comunidade Europeia PSD-PP…CHISSSA!

Advertisements